quarta-feira, maio 02, 2007

projector

nos momentos de pausa, de aparente inacção, as imagens e ecos que se tornam mais fortes e atravessam as paredes do nosso espírito, para passear dentro de nós, vêm exactamente de onde? não falo da insistência de certos slides passados, que persistem em continuar na fila de espera de projecção para aparecerem, para aparecerem, para aperecerem. sabemos bem de onde vem essa matéria e até nos entretemos a julgar, ou culpar, ou absolver, ou. horas mal resolvidas. é um clássico. não falo, tão pouco, da reacção às mensagens do redor público, que não se endereçam a ninguém, ao o serem para todos. penso, aqui, em chegadas sem projector. de onde?

4 Comments:

Blogger un dress said...

memória?

da.trás do écran...?




!!!?


*

02 maio, 2007 20:17  
Blogger i2_s2 said...

descarto a questão da memória, aqui, un-dress, ou pelo menos, da memória que reconhecemos como tal (podemos ter reminiscências de outras vidas:P), mas pode haver processos mentais que se alimentem de vivências de que ainda nos lembramos, mas como só parte delas emerge e é mascarada por outras formulações, outros contextos, achamos que não advém do que vivemos.
ou não.
sei lá...!
:)

03 maio, 2007 11:35  
Anonymous Sigesmunda Freud com bengala said...

Estão abertas inscrições, gratuitamente, para consultas!:P
*

03 maio, 2007 12:31  
Blogger i2_s2 said...

a bengala é para quê?
não se senta a tirar notas?:P

03 maio, 2007 13:01  

Enviar um comentário

<< Home